Gaitas Urgentes em Tom Urbano

Este post fala dum grupo musical genuinamente português: os gaiteiros de lisboa.
Formado em 1991 por um grupo de gente interessante e interessada, ainda hoje, volvidos mais de 10 anos, continuam a fazer-se ouvir. Não são mainstream. Talvez até o quisessem ser, mas os mandatários do mercado musical não os querem ver e ouvir.
Dizem eles que seria bom que todo o Portugal os pudesse escutar, visto a maioria dos concertos serem em todo o lado menos no nosso país à beira mar plantado.
Respeitam as tradições, utilizam formas acústicas para se expressarem, enquanto grupo que toca o que o povo canta. Partem sempre de recolhas realizadas, testemunhos que sobrevivem de geração em geração. Se perguntarmos a quem oferece os trechos culturo-musicais acerca da origem, dizem que foi o pai, o avô, ou ainda mais remoto que isso, o vizinho (personagem errante dos tempos modernos, quem é o meu vizinho?).
Os gaiteiros tocam gaita e não só. Além de acústicos, são orgânicos. Tocam o chão, tocam a terra, expressam-se amiúde cantando, espelho do povo que canta e sobrevive.
Como nos indica uma quadra do último album: "as freiras de santa Clara/às quatro da madrugada/dizem umas para as outras/quem nos dera uma gaitada"

interpretações? há muita gente a precisar de levar valentes "gaitadas". de preferência se for dada por eles.



lenga-lenga: a 1a que me fez saltar da cadeira e abanar o rabiosque


http://www.gaiteirosdelisboa.com/