Pedalar Devagar



Excerto da obra (retirado de webboom.pt)
«Ansiosos por vencer os vinte quilómetros que faltavam, pedalávamos (...) Ao longe, como que num pedestal, o esplendor arquitectónico ia crescendo, dominando o planalto. As nossas pernas exaustas transformaram-se então em potentes máquinas, modernas e velozes. Já muito perto, percorremos as ruas engarrafadas e o emaranhado de prédios que escondiam a almejada jóia. E, subitamente, lá estava ele, o majestoso, o magnífico palácio de Inverno do Dalai Lama: o Potala (...) Tinha sido o mês mais duro da viagem, talvez o mais duro da minha vida, aquele em que tive de lutar mais, em que as condições foram mais adversas, em que a comida era tão escassa que me fez perder quinze quilos, em que as doenças apareceram e as pessoas eram praticamente inexistentes. »